terça-feira, maio 02, 2006

Coisas que me maçam

Chateia-me ser uma das poucas pessoas que ainda não se cruzou com o Paul Auster em Lisboa. Por outro lado, se de facto o encontrasse, provavelmente não iria conseguir passar além do gracejo desajeitado. Ou, pensando bem, talvez lhe dissesse, num rasgo de coragem, que a filha dele é giríssima (o que é verdade), tal como a mulher (o que já não é verdade).

Tenho que perder esta mania de elogiar as mulheres dos outros à falta de melhor tema, até porque metade das vezes estou a mentir descaradamente.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home