segunda-feira, maio 08, 2006

Escrito com uma certa raivinha

O campeonato acabou finalmente, sem glória para o Benfica e com a triste descida de divisão do Beleneneses. Vi este ano mais jogos de futebol do que queria na verdade, e a única coisa que me ocorre dizer é que foi um campeonato de pequenas misérias, a começar pela "enérgica" luta pelo segundo lugar entre os clubes de Lisboa. Do Benfica o melhor é nem falar (como é possível falhar todos os objectivos do ano e ainda ter que aturar a carinha de cabide do Koeman?), e do Sporting guardo apenas a imagem de Bento sempre à beira do choro, franjinha descaída, um quase-beicinho, amuado com os árbitros quando a equipa perdia. Que falta de pachorra, sinceramente.

Para Pinto da Costa o ano foi muito positivo: é ilibado do caso do Apito Dourado, o Porto ganha o campeonato por incompetência extrema dos adversários e, maravilha das maravilhas, vê-se de novo livre para namoriscar as raparigas casadoiras do norte. Que felicidade, pá.

Assim sendo, faço minhas as palavras do Professor Catedrático Rui Santos: "o que Portugal precisa não é de um 25 de Abril, mas sim de um 50 de Abril" (alguém lhe dê uma medalhinha qualquer, por favor).

E para finalizar, o comentário possível sobre a evolução do meu entusiasmo ao longo deste campeonato:



(Statler e Waldorf, "Grumpy Old Men Booing")

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home